common:navbar-cta
Baixar aplicativoBlogRecursosPreçosSuporteEntrar

1.2 Oferta e Demanda

2 years ago

5 min read
EnglishEspañolعربىFrançaisPortuguêsItalianoहिन्दीKiswahili中文русский

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável enfatiza a necessidade de enfrentar os desafios globais, que vão desde a mudança climática até a pobreza, sendo a produção sustentável de alimentos uma alta prioridade (Brandi 2017; ONU 2017). Conforme refletido no Objetivo 2 de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ONU 2017), um dos maiores desafios que o mundo enfrenta é como garantir que uma população global crescente, projetada para subir para cerca de 10 bilhões até 2050, seja capaz de atender às suas necessidades nutricionais. Para alimentar mais dois bilhões de pessoas até 2050, a produção de alimentos precisará aumentar 50% globalmente (FAO 2017). Embora seja necessário produzir mais alimentos, há uma força de trabalho rural em declínio devido ao aumento da urbanização (dos Santos 2016). A população rural mundial diminuiu de 66,4% para 46,1% no período de 1960 a 2015 (FAO 2017). Embora, em 2017, as populações urbanas representassem mais de 54% da população mundial total, quase todo o crescimento futuro da população mundial ocorrerá em áreas urbanas, de modo que, em 2050, 66% da população mundial viverá em cidades (ONU 2014). Esta crescente urbanização das cidades é acompanhada por uma rede simultaneamente crescente de sistemas de infraestrutura, incluindo redes de transporte.

Para garantir a segurança alimentar global, a produção total de alimentos terá de aumentar em mais de 70% nas próximas décadas para cumprir os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (FAO 2009), que incluem a “erradicação da pobreza extrema e da fome” e também “garantir a sustentabilidade ambiental”. Ao mesmo tempo, a produção alimentar enfrentará inevitavelmente outros desafios, como as alterações climáticas, a poluição, a perda de biodiversidade, a perda de polinizadores e a degradação das terras aráveis. Estas condições exigem a adoção de rápidos avanços tecnológicos, métodos de produção mais eficientes e sustentáveis e cadeias de abastecimento alimentar mais eficientes e sustentáveis, uma vez que cerca de um bilhão de pessoas já estão cronicamente desnutridas, enquanto os sistemas agrícolas continuam a degradar a terra, água e biodiversidade à escala global (Foley et al. 2011; Godfray et al. 2010).

Estudos recentes mostram que as tendências atuais em melhorias na produtividade agrícola não serão suficientes para atender a demanda global de alimentos projetada até 2050, e estes sugerem ainda que uma expansão das áreas agrícolas será necessária (Bajželj et al. 2014). No entanto, a degradação generalizada das terras em conjugação com outros problemas ambientais parece tornar isso impossível. Atualmente, as terras agrícolas cobrem mais de um terço da área terrestre do mundo, mas menos de um terço é arável (aproximadamente 10%) (Banco Mundial 2018). Nas últimas três décadas, a disponibilidade de terras agrícolas tem diminuído lentamente, como evidenciado por uma diminuição de mais de 50% entre 1970 e 2013. Os efeitos da perda de terras aráveis não podem ser remediados através da conversão de áreas naturais em terras agrícolas, uma vez que isso resulta muitas vezes em erosão, bem como em perda de habitat. A lavoura resulta na perda de solo por meio do vento e da erosão da água, resultando em redução da fertilidade do solo, aumento do uso de fertilizantes e, eventualmente, para a degradação da terra. As perdas de solo provenientes da terra podem então acabar em lagoas, barragens, lagos e rios, causando danos a esses habitats.

Em suma, a população global está crescendo rapidamente, urbanizando e se tornando mais rica. Consequentemente, os padrões alimentares também estão mudando, criando assim maiores demandas por alimentos intensivos de gases de efeito estufa (GEE), como carne e laticínios, com maior demanda de terra e recursos (Garnett 2011). Mas enquanto o consumo global está crescendo, os recursos disponíveis no mundo, ou seja, terra, água e minerais, permanecem finitos (Garnett 2011). No entanto, ao analisar a análise completa do ciclo de vida dos diferentes produtos alimentares, tanto a Weber como a Matthews (2008) como a Engelhaupt (2008) sugerem que as mudanças alimentares podem ser um meio mais eficaz de reduzir a pegada climática média de um agregado familiar do que a “compra local”. Por conseguinte, em vez de olhar para a redução das cadeias de abastecimento, argumentou-se que uma mudança dietética da carne e dos produtos lácteos para uma agricultura orientada para a nutrição pode ser mais eficaz na redução da energia e das pegadas (Engelhaupt 2008; Garnett 2011).

A complexidade dos desequilíbrios entre a procura e a oferta é agravada pela deterioração das condições ambientais, o que torna a produção alimentar cada vez mais difícil e/ou imprevisível em muitas regiões do mundo. As práticas agrícolas não podem apenas minar as fronteiras planetárias (Fig. 1.1), mas também agravar a persistência e propagação de doenças zoonóticas e outros riscos para a saúde (Garnett 2011). Todos esses fatores fazem com que o sistema alimentar global perca sua resiliência e se torne cada vez mais instável (Suweis et al. 2015).

O ambicioso prazo para 2015 dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) da OMS para erradicar a fome e a pobreza, melhorar a saúde e garantir a sustentabilidade ambiental já passou, e tornou-se claro que fornecer alimentos nutritivos para as populações desnutridas e abastadas não é um tarefa simples. Em resumo, mudanças climáticas, perda de terra e diminuição da qualidade da terra, cadeias alimentares cada vez mais complexas, crescimento urbano, poluição e outras condições ambientais adversas ditam que há uma necessidade urgente não só de encontrar novas formas de cultivar alimentos nutritivos economicamente, mas também de localizar a produção alimentar instalações mais próximas dos consumidores. A realização dos ODM exigirá mudanças na prática, tais como a redução dos resíduos, das pegadas de carbono e ecológicas, e a aquaponia é uma das soluções que tem potencial para atingir esses objetivos.


Aquaponics Food Production Systems

Loading...

Mantenha-se atualizado sobre a mais recente Aquaponic Tech

Empresa

  • Nossa equipe
  • Comunidade
  • Pressione
  • Blog
  • Programa de referência
  • Política de privacidade
  • Termos de serviço

Direitos autorais © 2019 Aquaponics AI. Todos os direitos reservados.