common:navbar-cta
Baixar aplicativoBlogRecursosPreçosSuporteEntrar

18.8 Conclusão e Outlook

2 years ago

7 min read
EnglishEspañolعربىFrançaisPortuguêsItalianoहिन्दीKiswahili中文русский

Tal como discutido neste capítulo, as avaliações económicas dos sistemas aquapónicos continuam a ser uma tarefa muito complexa e difícil. Embora a aquapônica seja, por vezes, apresentada como um método economicamente superior de produção de alimentos, não há evidências para tais afirmações generalizadas. Até agora, quase não existem dados fiáveis disponíveis para uma avaliação económica abrangente da aquaponia. Isso ocorre em parte porque não existe “um sistema aquapônico”, mas existe uma variedade de sistemas diferentes que operam em locais diferentes sob condições diferentes. Por exemplo, fatores como as condições climáticas, que afetam principalmente o consumo de energia dos sistemas, os níveis salariais, a carga de trabalho necessária para operar os sistemas e as condições legais, devem ser considerados do lado dos custos. Do lado das receitas, fatores como a combinação de peixe-planta escolhida com os seus preços específicos dos produtos, a opção de gerir os sistemas como produção biológica, bem como a aceitação pública a longo prazo dos sistemas aquapônicos e dos seus produtos têm um impacto na avaliação económica. Não menos importante, a avaliação económica da aquapônica no seu sentido mais estrito deve ser feita em comparação com os sistemas aquícolas de recirculação e os sistemas hidropônicos como sistemas autónomos.

A Aquapônica constitui um grande desafio de comunicação como um sistema de produção de alimentos bastante desconhecido, com altos níveis de inovação e, na maioria dos casos, com altos insumos tecnológicos. Como o consumo de alimentos em sociedades avançadas está cada vez mais ligado a alguma forma de naturalidade, podem ser esperados grandes desafios na comunicação de sistemas e produtos aquapônicos. Os dados limitados disponíveis sugerem que este desafio pode ser gerido em determinadas condições-quadro, mas isso necessita de mais tempo, bem como de contributos financeiros e criativos. Deve reconhecer-se que os preços elevados dos produtos aquapônicos comunicados apenas têm custos consideráveis do estabelecimento da marca. Uma vez que qualquer viabilidade económica dos sistemas aquapónicos dependerá criticamente dos preços praticáveis, é necessária mais investigação para compreender os diferentes determinantes da disponibilidade dos clientes para pagar os produtos aquapónicos.

As decisões de localização para a agricultura aquapônica são um determinante fundamental da viabilidade econômica, uma vez que muitos fatores de produção relacionados à produção aquapônica não são flexíveis em termos de espaço. Isto diz respeito particularmente à terra. A aquapônica como um sistema de produção eficiente da terra só pode contar com essa vantagem em regiões com escassez de terra. Comparativamente, as zonas rurais com preços dos terrenos relativamente baixos não podem, portanto, gerar incentivos suficientes a menos que existam outras vantagens específicas do local, por exemplo, o abastecimento de energia residual proveniente de centrais de biogás. Apesar de ser eficiente em termos de terra em geral, a aquapônica em contextos urbanos ainda compete por recursos terrestres altamente limitados. Nos mercados funcionais, os terrenos seriam afectados às actividades com os maiores lucros por unidade de terra e é altamente questionável que a aquaponia seja capaz de competir com actividades industriais ou orientadas para os serviços muito eficientes em contextos urbanos. Por conseguinte, a aquaponia parece caber apenas em zonas urbanas que proporcionam à aquaponia uma vantagem competitiva sobre as actividades potenciais concorrentes.

Alargar a definição de aquapônica e incluir a aquapônica como introduzida por Palm et al. (2018) pode alinhar a aquapônica muito mais perto das análises tradicionais da agricultura econômica. Esta definição mais ampla de aquapônica refere-se à água de processo que é usada para fertilização combinada com irrigação em campos. Com essa interpretação mais ampla da aquapônica, torna-se possível produzir alimentos básicos em sistemas de produção aquapônica. Uma vez que a capacidade de absorção de nutrientes da superfície agrícola pode ser limitada em algumas regiões, esta definição coloca implicitamente a aquaponia como concorrente da produção de suínos, bovinos e aves de capoeira. Uma vez que a aquicultura utiliza menos recursos do que os suínos, a carne de bovino e as aves de capoeira no que respeita à produção final, esta poderá tornar-se uma opção viável.

Nas análises econômicas tradicionais, há uma forte separação tecnológica e conceitual da produção animal e vegetal. Com uma menor interação tecnológica na agricultura aquaponica em comparação com a aquapônica em seus sentidos mais rigorosos, haverá também uma avaliação econômica menos complexa, uma vez que os dois sistemas de produção de peixe e de plantas podem ser modelados separadamente. Para ligar economicamente os sistemas, os preços internos do sistema teriam de ser determinados, por exemplo, os preços dos nutrientes trazidos da produção de peixe para os campos de produção vegetal.

Outra questão é os preços obtidos para os produtos finais da agricultura aquapônica. Falta provas sobre preços praticáveis a partir deste tipo de sistemas de produção, o que restringe, até agora, estimativas fiáveis sobre a viabilidade económica. Com uma separação mais forte da produção de peixe e de plantas, poderá ser viável utilizar os preços dos produtos aquícolas convencionais e dos preços convencionais da produção vegetal. Isto pressupõe que não existe um prémio de preço para a aquapônica. Para testar se este é realmente o caso, experimentos de preços combinados com diferentes ferramentas de comunicação têm de ser implementados.

Do ponto de vista da comunicação, há a questão da percepção da aquapônica como sendo superior às abordagens agrícolas tradicionais. À primeira vista, a agricultura aquaponica pode parecer a criação de gado convencional usando apenas um tipo diferente de animal. Os esforços de comunicação terão de se concentrar nos níveis de eficiência mais elevados da aquicultura em comparação com outros tipos de produção animal. A publicidade de produtos vegetais provenientes da agricultura aquapônica como sendo superior aos produtos da produção vegetal convencional pode ser um desafio e requer análises mais aprofundadas. No entanto, uma vantagem no que se refere à comunicação pode ser o facto de uma separação mais forte da produção de peixe e de plantas na aquapônica poder facilitar a certificação biológica. Espera-se que a rotulagem orgânica constitua uma vantagem adicional nos esforços de comunicação relacionados com a aquaponia. (Deve notar-se que, no Reino Unido, pelo menos, a certificação biológica está ligada ao cultivo de produtos no solo e, portanto, pode ser necessário identificar um tipo diferente e especial de certificação. Para mais informações sobre a questão da aquapônica e da certificação orgânica, ver Cap. 19).

Por último, é importante notar que as empresas aquapônicas europeias entrevistadas, mesmo aquelas que abandonaram a sua aquapônica comercial, continuam esperançosas para o futuro da aquapônica. Eles optaram pela aquaponia devido ao seu potencial de sustentabilidade e ainda veem esse potencial. Reconhecem, no entanto, que a adopção da aquapônica é um processo gradual e a longo prazo, que não pode ser simplesmente repetido em diferentes locais, mas deve ser adaptado ao ambiente local. Como tal, a aquaponia continua a ser uma das tecnologias potencialmente sustentáveis do futuro, uma que não pode (ainda) ser considerada capaz de competir adequadamente no mercado com os seus concorrentes, mas que continuará a necessitar de mais apoio público e cuja adoção é determinada não só pela sua vantagens, mas muito mais sobre a determinação pública e boa vontade. Como afirmado em Chap. 16 desta publicação, fazendo a pergunta “em que circunstâncias a aquapônica pode superar os métodos tradicionais de produção de alimentos em larga escala?” não é o mesmo que perguntar “até que ponto a aquapônica pode atender às demandas de sustentabilidade e segurança alimentar da nossa época”.


Aquaponics Food Production Systems

Loading...

Mantenha-se atualizado sobre a mais recente Aquaponic Tech

Empresa

  • Nossa equipe
  • Comunidade
  • Pressione
  • Blog
  • Programa de referência
  • Política de privacidade
  • Termos de serviço

Direitos autorais © 2019 Aquaponics AI. Todos os direitos reservados.