common:navbar-cta
Baixar aplicativoBlogRecursosPreçosSuporteEntrar

22.1 Introdução

2 years ago

5 min read
EnglishEspañolعربىFrançaisPortuguêsItalianoहिन्दीKiswahili中文русский

Aquaponics não é apenas uma tecnologia de produção de alimentos voltada para o futuro; também promove a alfabetização científica e fornece uma ferramenta muito boa para o ensino das ciências naturais (ciências da vida e físicas) em todos os níveis de ensino, desde o ensino fundamental (Hofstetter 2007, 2008; Bamert e Albin 2005; Bollmann- Zuberbuehler et al. 2010; Junge et al. 2014) ao ensino profissional (Baumann 2014; Peroci 2016) e ao nível universitário (Graber et al. 2014).

Um sistema de modelo de sala de aula aquapônica fornece várias formas de enriquecer as aulas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM). A abordagem “hands-on” também possibilita a aprendizagem experiencial, que é o processo de aprendizagem através da experiência física, e mais precisamente o processo de “significação” da experiência direta de um indivíduo (Kolb 1984). A Aquapônica pode, assim, tornar-se uma forma agradável e eficaz para os alunos estudarem o conteúdo STEM. Ele também pode ser usado para ensinar assuntos como negócios e economia, abordando questões como desenvolvimento sustentável, ciência ambiental, agricultura, sistemas alimentares e saúde (Hart et al. 2013).

A aquapônica básica pode ser construída de forma fácil e barata. A World Wide Web é um repositório de muitos exemplos de vídeos e instruções sobre como construir aquapônica a partir de uma variedade de componentes, resultando em uma variedade de tamanhos e configurações diferentes. Investigações recentes de um desses protótipos micro-aquapônicos mostraram que, apesar de ser pequeno, ele pode imitar uma unidade de escala completa e é uma ferramenta de ensino eficaz com impacto ambiental relativamente baixo (Maucieri et al. 2018). No entanto, a implementação da aquapônica nas salas de aula não é sem seus desafios. Hart et al. (2013) relatam que as dificuldades técnicas, a falta de experiência e conhecimento e a manutenção durante os períodos de férias podem representar barreiras significativas aos professores que utilizam a aquapônica na educação, e que o desinteresse por parte do professor também pode ser um fator crucial (Graham et al. 2005; Hart et al. 2014). Clayborn et al. (2017), por outro lado, mostraram que muitos educadores estão dispostos a incorporar a aquapônica na sala de aula, principalmente quando um incentivo adicional, como a experiência prática, é fornecido.

Wardlow et al. (2002) investigaram as percepções dos professores sobre a unidade aquapônica como sistema de sala de aula e também ilustram uma unidade protótipo que pode ser facilmente construída. Todos os professores concordaram firmemente que trazer uma unidade aquapônica para a sala de aula é inspirador para os alunos e levou a uma maior interação entre alunos e professores, contribuindo assim para um diálogo sobre ciência. Por outro lado, não está claro exatamente como os professores e alunos fizeram uso da aquapônica e dos materiais didáticos oferecidos. Assim, faltam ainda as informações necessárias para avaliar o impacto das aulas de aquapônica no cumprimento dos objetivos dos currículos dos alunos. Em uma pesquisa sobre o uso da aquapônica na educação nos EUA (Genello et al.

2015), os entrevistados indicaram que a aquapônica era frequentemente utilizada para ensinar disciplinas, que são mais exclusivamente focadas em temas STEM. A educação aquapônica nas escolas primárias e secundárias é focada na ciência, orientada para projetos e voltada principalmente para estudantes mais velhos, enquanto a aquapônica universitária e universitária foram geralmente maiores e menos integradas ao currículo. As disciplinas interdisciplinares, tais como sistemas alimentares e ciência ambiental, foram ensinadas usando uma aquapônica mais frequentemente em faculdades e universidades do que em escolas, onde o foco era mais frequentemente em disciplinas únicas, como química ou biologia. Curiosamente, apenas algumas escolas profissionais e técnicas usaram a aquapônica para ensinar outras matérias que não a aquapônica. Isso indica que para esses educadores, a aquapônica é um assunto autônomo e não um veículo para abordar tópicos STEM ou sistemas alimentares (Genello et al. 2015).

Embora os estudos citados acima relatem a aquapônica como tendo o potencial de incentivar o uso de experimentação e aprendizagem prática, eles não avaliaram o impacto da aquapônica nos resultados da aprendizagem. Junge et al. (2014) avaliaram a aquapônica como ferramenta para promover o pensamento de sistemas em sala de aula. Os autores relataram que estudantes de 13 a 14 anos (sétima série na Suíça) apresentaram um aumento estatisticamente significativo de pré para pós-teste para todos os índices medidos para avaliar suas capacidades de pensamento de sistemas. No entanto, uma vez que os alunos não tinham qualquer conhecimento prévio do pensamento de sistemas, e uma vez que não havia grupo controle, os autores concluíram que são necessários testes complementares para avaliar se a aquapônica tem benefícios adicionais em comparação com outras ferramentas de ensino. Essa questão foi abordada no estudo de Schneller et al. (2015), que encontraram avanços significativos nos escores de conhecimento ambiental em escolares de 10 a 11 anos, comparados a um grupo controle de 17 anos. Além disso, quando solicitados suas preferências de ensino, a maioria dos alunos indicou que preferia pedagogia experiencial prática, como aquaponia ou hidropônica. A maioria dos alunos também discutiu o currículo com suas famílias, explicando como funcionam hidropônicos e aquapônicos. Esta observação estende a crença de que a aprendizagem prática usando aquapônica (e hidropônica) não só tem um impacto estimulante sobre professores e alunos, mas também leva à aprendizagem intergeracional.

O objetivo deste capítulo é fornecer uma visão geral das possíveis estratégias de implementação da aquapônica em currículos em diferentes níveis de educação, ilustradas por estudos de caso de diferentes países. Com base em avaliações realizadas com alguns desses estudos de caso, procuramos responder à questão de saber se a aquapônica cumpre sua promessa como ferramenta educacional.


Aquaponics Food Production Systems

Loading...

Mantenha-se atualizado sobre a mais recente Aquaponic Tech

Empresa

  • Nossa equipe
  • Comunidade
  • Pressione
  • Blog
  • Programa de referência
  • Política de privacidade
  • Termos de serviço

Direitos autorais © 2019 Aquaponics AI. Todos os direitos reservados.